O apelido de Número Um do Brasil não é à toa. Com cinquenta de anos de tradição, a Furacão2000 apresentou o funk que conhecemos hoje.

E muito antes de virar modinha em boates do Brasil e programas de tv, a equipe de som percorreu um longo caminho para fazer o batidão
encontrar seu público.Hoje os mcs fazem sucesso nas redes sociais e vivem uma vida de glamour, mas a real é que
mais do que música, o funk tem função social. É através desse som que milhares de jovens da
periferia sonham em encontrar uma vida melhor. É pelo funk que muitos adolescentes
acreditam em seus sonhos, se afastando da ilegalidade. Mais do que música, o funk é hoje
oportunidade. É cultura popular. É arte. É patrimônio. É por meio das rimas desses jovens que
o Brasil passou a conhecer a realidade das comunidades. É através das suas letras que
conhecemos o cotidiano, os problemas e as esperanças de quem sonha com uma vida melhor.
À frente da Furacão 2000, Rômulo Costa sempre viu de perto esse cenário. Difícil citar um
nome desse meio artístico que não tenha figurado em um dos cds, dvds ou programas de rádio
e tv da equipe de som. Desde a década de 90 com Cidinho e Doca entoando versos sobre a
realidade das comunidades cariocas, até os rostos mais conhecidos do momento, como Anitta,
a história da Número Um do Brasil é repleta de sucesso. Mas mais do que dar espaço, a
Furacão 2000 é uma porta para que através do seu talento estes jovens sejam capazes de
mudar sua realidade.
Seguindo esse caminho, uma das novas apostas da equipe de som é o jovem de 28 anos, cria
da Vila Aliança, Zona oeste do Rio de Janeiro. Batizado como Bruno de Carvalho, mas
conhecido no mundo funk como Brzin, o Mc revela sua satisfação em ser reconhecido. “Eu não
decidi entrar no funk, eu sempre fui do funk, mas eu nunca tive oportunidade. Existem muitos
mcs que têm o talento, mas não têm a oportunidade. Desde cedo, eu já fazia rimas, era rápido
com as palavras, encaixava com o nome das pessoas, sempre foi algo fácil para mim”, conta.
Apesar do talento, a realidade difícil não colaborou. Assim como muitos jovens de
comunidades do Rio de Janeiro, Brzin revela que já passou por muitas necessidades, e por um
período, durante sua adolescência, acabou se envolvendo com o tráfico de drogas. “Eu tive
uma infância complicada. Na juventude cheguei a me envolver com caminhos errados, tinha a
mente fraca. A gente acha que sabe mais que todo mundo, não ouve os pais. Mas eu fui
resgatado, saí da lama. Sou um favelado guerreiro. Hoje quero mostrar para o mundo o que eu
vivo, o que eu sinto, o que eu vejo através da minha música. Minha história mudou”, exalta
com orgulho.
Hoje, mais maduro, e com o apoio de toda família, Brzin sonha com o reconhecimento no
mundo funk e vê no segmento uma oportunidade para mudar de vida. “Meu maior sonho é
viver só da música, dar uma casa para a minha coroa, ajudar minha família. A gente canta a
nossa vivência, mas é obvio que todo mundo busca uma melhor condição de vida”.
Apesar de sonhar alto, o Mc não deixa de ter o pé no chão e sabe que alcançar seus objetivos é
uma combinação de esforço com oportunidade. “Eu sempre tento mostrar para o meu público
que seus sonhos podem se realizar, por isso não desanime, não deixe se abater pela
frustração. Se você tem um sonho, mas não faz nada, é apenas uma ilusão. Já trabalhei virado
muitas vezes, seja por passar a noite fazendo show, ou no estúdio gravando. É uma dupla
jornada”.

Mais do que cantar, Brzin também se orgulha de compor todas as suas músicas. As letras que
contam histórias de superação, romance e orgulho surgem, principalmente, quando o mc se
sente em paz. “Todas as minhas músicas são feitas por mim. A inspiração vem de tudo que eu
vivo, seja uma depressão, um momento de alegria, algo que eu vi ou vivi. Gosto de sempre
refletir e ver o que eu posso mostrar para o mundo”.
Em seus 15 anos de funk, Brzin tem como inspiração diversos mcs que já passaram pela
Furacão 2000, como Max e Tikão. Coincidência ou não, hoje é ele quem ocupa esse lugar. “Eu
via a Furacão 2000 na televisão desde pequeno. Já participei de muita roda de funk. Muita
gente me descreditou, disse que eu não chegaria. Hoje sou valorizado, eles me veem como
uma aposta”, conta orgulhoso.
A faixa “Morena”, última música de Brzin lançada com a Número Um do Brasil, já tem clipe no
Youtube e conta com mais de vinte mil visualizações. O próximo lançamento também já está
programado: “Tô chegando”. Com tantos sonhos e planos, não temos dúvida de que vai ser um
grande sucesso.

E se você assim como Brzin também está buscando uma oportunidade no mundo funk, não
deixe de enviar o seu trabalho para gente através do email: musicasfuracao2000@gmail.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.